Topo
Roblog

Roblog

Categorias

Histórico

Este robô pretende acabar com os preconceitos nas entrevistas de emprego

Márcio Padrão

30/03/2019 16h15

Entrevistas de emprego não costumam ser experiências muito agradáveis. Para o entrevistado então, a sensação é de que seu possível futuro empregador está analisando cada detalhe de suas reações como se ele fosse uma máquina. Mas e se nos próximos anos, ele for realmente uma máquina?

É a ideia da empresa de inteligência artificial e robótica social Furhat, sediada em Estocolmo. Nos últimos quatro anos, ela desenvolveu uma interface de computador para imitar a interação humana. Uma parceria com a TNG,  maior empresa de recrutamento da Suécia, permitiu finalmente que Tengai surgisse.

Sim, este é o nome do robô recrutador da Furhat. Ele é basicamente um busto com um rosto simulado digitalmente, para que a vítima –digo, o candidato à vaga de emprego– consiga olhar para algo que pelo menos pareça humano.

Com 41 centímetros de altura, Tengai é feito de dois alto-falantes de 2,5 polegadas com áudio de alta fidelidade,  um sistema operacional capaz de conversar com nativos de mais de 30 idiomas, câmera grande angular, microfones estéreo, processador Intel Core i5 de sétima geração, 8 GB de memória RAM, disco de 120 GB.

Ah, e claro, seu rosto pode ser personalizado com expressões faciais e vários tipos de fisionomias para "criar personagens únicos com suas próprias personalidades e peculiaridades … como um ser humano real!". Pelo menos é o que jura a Furhat. Para ajudar nessa tarefa, a cabeça faz movimentos em três eixos (3 DOF, na linguagem técnica) para direcionar a atenção para interlocutores e e objetos ao seu redor.

Escolha seu recrutador: Gasparzinho, Zordon dos Power Rangers ou um Na'vi de "Avatar"?

Segundo a empresa, a visão por trás do robô "é analisar, compreender e realizar melhores entrevistas e avaliações de trabalhadores baseadas em competências, eliminando o viés inconsciente – uma questão muito real no mundo do recrutamento atualmente".

Trocando em miúdos, eles querem eliminar os preconceitos que costumam ocorrer nas entrevistas de emprego. Afinal, o objetivo do robô é dar o mesmo tom de voz e tratamento para todos os candidatos. E ao que parece, essa missão não é da boca para fora, já que Samer Al Moubayed, executivo-chefe da Furhat Robotics, é descendente de sírios.

"Estamos muito inspirados pela visão de erradicar o preconceito do processo de recrutamento, potencialmente dando às pessoas uma chance melhor de ter a carreira certa e de os empregadores encontrarem os candidatos certos", diz Al Moubayed.

O vídeo acima exemplifica bem isso, com a candidata de véu recebendo olhares tortos de um recrutador com vestes ocidentais. É de fato uma boa iniciativa, mas esperamos que eles deixem esse robô visualmente mais amigável, pois um busto com olhar de peixe morto não deve deixar os candidatos ao emprego mais tranquilos.

Sobre o Blog

O Roblog é a casa dos robôs mais fofos, descolados e curiosos desse mundão doido. É produzido pela equipe do UOL Tecnologia.